sexta-feira, 10 de junho de 2022

Wall Street Journal destaca tecnologia de ponta utilizada no agronegócio brasileiro

Empresas desenvolvem soluções para o agronegócio 
Foto: Budimir Jevtic/Shutterstock | tecnologia de ponta

O país atraiu mais de US$ 1 bilhão em investimentos para o setor no ano passado

Wall Street Jorunal deu destaque nesta quinta-feira, 9, para soluções de tecnologia de ponta desenvolvidas por empresas brasileiras para o agronegócio. A matéria aparece na edição impressa e no site do jornal com o título Brazil Tests Cutting-Edge Farm Solutions — algo como Brasil testa soluções agrícolas de ponta.

A publicação mostra exemplos que vão desde géis para a hidratação e otimização da absorção da plantas, criadas em agtechs — satrtups do agronegócio —, até drones e equipamentos com um laser desenvolvido pela Nasa. O texto revela também investimentos estrangeiros feitos por grandes players estrangeiros em empresas do Brasil. São os casos da Moasic, gigante que investiu na Gênica, e da Yara, multinacional que apostou na Drop Agricultura, em busca de soluções para nutrição vegetal.

-Publicidade-

“Todas as grandes multinacionais do agronegócio estão agora entrando no Brasil por causa da inovação que veem acontecendo”, disse Bob Morris. Ele é agrônomo norte-americano e preside AndMore Associates, uma consultoria com sede em Washington, capital dos Estados Unidos.

Além disso, a matéria cita as parcerias feitas pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), com agtechs fundadas por profissionais de universidades de ponta do Brasil. Entre elas, a Krilltech, idealizada por Marcelo Oliveira Rodrigues, da  Universidade de Brasília.

Em parceria com Carime Rodrigues, ex-aluna, Marcelo desenvolveu o Arboline, que acelera a absorção de nutriente do solo pela planta. De acordo com a Embrapa, dados mostram o aumento de produção de 21% para as lavouras de soja e até 50% para algumas hortaliças. A fórmula já é utilizada em cerca de 150 mil hectares de terra.

Outra solução que está chegando ao mercado é o hidrogel de Adriel Bortolin. Em parceria com a Embrapa, ele desenvolveu um insumo que armazena água no solo. O Fergel mantém o líquido próximo da raiz da planta para liberá-la aos poucos, conforme a necessidade da lavoura.

Segundo a reportagem, apenas no ano passado, o Brasil atraiu US$ 1,3 bilhão em investimentos em desenvolvimento tecnologia de ponta para o agronegócio. É o sexto lugar no mundo, na estimativa da AgFunder, uma empresa de investimento e pesquisa.

Artur Piva