quinta-feira, 23 de junho de 2022

Justiça manda prender agressor de procuradora de Registro (SP)

Funcionários registraram momento em que
agressão ocorreu | Foto: Reprodução

Prefeitura afastou funcionário depois do crime

O juiz Raphael Neves, da 1ª Vara Criminal de Registro, cidade a 163 quilômetros de São Paulo, aceitou, nesta quarta-feira, 22, pedido da Polícia Civil e decretou a prisão preventiva do procurador municipal Demétrius Oliveira de Macedo, 34 anos, que agrediu a procuradora-geral da prefeitura, Gabriela Samadello Monteiro de Barros, 39 anos.

O agressor ainda não foi encontrado. De acordo com decisão do magistrado, “nenhuma das medidas alternativas se revela pertinente”.

Mais cedo, no pedido de prisão enviado à Justiça, o delegado Daniel Vaz Rocha, do 1º Distrito Policial de Registro, afirmou em despacho que o acusado “vem tendo sérios problemas de relacionamento com mulheres no ambiente de trabalho, sendo que, em liberdade, expõe a perigo a vida delas e, consequentemente, a ordem pública”.

As agressões, registradas em vídeo e fotos, aconteceram na tarde da segunda-feira 20. O motivo teria sido a abertura de um processo administrativo contra Macedo, que também é procurador, por conta de sua postura no ambiente de trabalho. A Prefeitura de Registro o afastou do trabalho no dia seguinte e sem remuneração.

A procuradora relatou à polícia que Macedo apresentava comportamento suspeito e que já havia sido grosseiro com outra funcionária do setor. Ela disse que cobrou providências, porque estava com medo de trabalhar no mesmo ambiente que ele.

O governador de São Paulo, Rodrigo Garcia (PSDB), disse que o caso “não ficará impune”. “Que a Justiça faça a sua parte e puna todo e qualquer covarde que agrida uma mulher”, disse o tucano.

Heitor Mazzoco