terça-feira, 21 de junho de 2022

Homem de 66 anos é impedido de doar sangue por não dizer se estava grávido

Escocês foi impedido de doar sangue por não dizer
se estava grávido | Foto: Reprodução

Escocês é doador há quase meio século, mas se negou a preencher formulário que ‘promove inclusividade’

O escocês Leslie Sinclair foi impedido de doar sangue depois de se recusar a responder se estava grávido ou não. Quando ele disse à equipe clínica que a pergunta não deveria ser feita a um homem de 60 anos, responderam-lhe que, por não seguir o protocolo, a doação de sangue não seria possível.

O impasse ocorreu porque, no início da semana passada, o NHS England (Sistema de Saúde Público da Inglaterra) lançou uma campanha para recrutar mais 1 milhão de doadores de sangue nos próximos cinco anos. Os potenciais doadores terão de responder se “estão grávidos”, pois “a gravidez nem sempre é visualmente clara”. O objetivo é “promover a inclusão”.

“Sempre há um formulário para preencher — e tudo bem”, disse Sinclair, em entrevista ao jornal Daily Mail. “Eles tendem a perguntar sobre condições médicas ou doenças, e claramente é porque o sangue precisa ser seguro. Desta vez, havia uma pergunta que não havia visto antes: ‘Você está grávida ou esteve nos últimos seis meses?’, que exigia uma resposta sim ou não.”

E continuou. “É um absurdo, deixa-me com raiva”, afirmou o escocês. “Há pessoas vulneráveis esperando por sangue, incluindo crianças, precisando desesperadamente de ajuda. Mas eles tiveram meu sangue negado por causa da obrigação de responder a uma pergunta que não pode ser respondida.”

Redação Oeste