quinta-feira, 9 de junho de 2022

EUA anunciam investimento de pouco mais de R$ 9 bi para conter imigração ilegal

A vice-presidente, Kamala Harris, é a encarregada no 
governo de Joe Biden da questão da imigração 
Foto: Reprodução/Flickr

Verba será direcionada aos países do Triângulo Norte da América Central

Os EUA anunciaram um investimento de quase US$ 2 bilhões (pouco mais de R$ 9 bilhões) para conter a imigração ilegal no país. A declaração foi feita pela vice-presidente dos EUA, Kamala Harris, na terça-feira 7, durante a Cúpula das Américas, em Los Angeles.

Segundo a vice-presidente, encarregada no governo de Joe Biden da questão da imigração, os investimentos privados serão realizados por dez empresas privadas dos setores têxtil, financeiro, energético, entre outros, nos países que compõem o Triângulo Norte da América Central — Guatemala, Honduras e El Salvador. De acordo com Kamala, o objetivo é combater a raiz dos problemas de imigração nos EUA e apoiar o crescimento econômico desses países.

Com o recente anúncio, os investimentos dos EUA no combate à imigração chegam a quase US$ 3,2 bilhões. O tema, no entanto, não deve avançar muito durante a Cúpula das Américas: o presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, afirmou que não iria para o encontro em razão do boicote dos Estados Unidos a Cuba, Venezuela e Nicarágua. Ainda, os líderes do Triângulo Norte da América Central também não marcarão presença no evento.

Desde 2021, Kamala realizou reuniões com diretores-executivos de várias empresas para conseguir os investimentos. Nos próximos cinco anos, a rede de pagamento Visa vai investir US$ 270 milhões, a fim de expandir os serviços financeiros nos países. O objetivo é adicionar cerca de 6,5 milhões de pessoas e 1 milhão de pequenas empresas no serviço de pagamento digital.

A Millicom, empresa de telecomunicações, também atendeu à solicitação de Kamala. Nos próximos dois anos, a instituição vai investir US$ 700 milhões para aumentar o acesso à internet banda larga na região. No total, 40 empresas vão auxiliar nos investimentos, entre elas também estão a Microsoft e a Mastercard.

Na Cúpula das Américas, também foi apresentado o programa “Nas mão delas”, que pretende capacitar quase 1,5 milhão de mulheres latino-americanas. O objetivo é que elas trabalhem nos setores de agronegócio, programação de computadores e desenvolvimento de pequenas e microempresas. Um projeto de bolsas de estudos também foi anunciado, com investimento de US$ 50 milhões para jovens.

Redação Oeste