sexta-feira, 17 de junho de 2022

Elon Musk: Twitter não é inclusivo se discrimina metade do país

Musk tem feito acenos ao Partido Republicano em publicações
recentes no Twitter | Foto: Wikimedia Commons

Empresário mantém postura pública crítica à plataforma em meio ao complicado processo de compra de US$ 44 bilhões

Em meio ao processo burocrático de aquisição do Twitter, Elon Musk afirmou que a plataforma não pode ser considerada “inclusiva ou justa”. Segundo o bilionário, a rede social ainda discrimina faixas significativas da população dos Estados Unidos.

A declaração de Musk aconteceu na última segunda-feira, interagindo com usuários no Twitter. O empresário controlador de Tesla e SpaceX respondeu uma conta que denunciava suposta censura por criticar conteúdos de esquerda.

“Uma plataforma não pode ser considerada inclusiva ou justa se for tendenciosa contra metade do país”, respondeu Elon Musk.

-Publicidade-

O comentário crítico acontece em meio as frustrações de Musk com a tendência cada vez mais à esquerda do Partido Democrata, do atual presidente Joe Biden. O bilionário anunciou em maio que favoreceria os republicanos nas eleições para o Congresso neste ano, depois de votar nos democratas em pleitos anteriores.

Nesta semana, Musk indicou que vê o govenador da Flórida, o republicano Ron DeSantis, como boa opção para as eleições presidenciais de 2024.

Impasse na compra

Em abril, o Conselho de Administração do Twitter aceitou a oferta de US$ 44 bilhões (cerca de R$ 220 bilhões) de Musk para comprar a empresa e fechar seu capital. No entanto, o empresário exige receber relatórios sobre transparência de contas antes de prosseguir com a aquisição.

Não é fácil para nenhum dos lados deixar o acordo. Musk e Twitter assinaram um documento detalhado estipulando exatamente o que cada uma das partes deve fazer para garantir que o negócio seja fechado. No termo, deixaram claro quais direitos legais cada um tem se o outro não cumprir o combinado.

Ambos os lados também concordaram em pagar uma taxa de rompimento de US$ 1 bilhão se recuarem antes de selar a transação.

Se Musk acredita que a contabilização de contas falsas era imprecisa quando assinou o acordo, seus advogados podem tentar litigar essa questão de várias maneiras, possivelmente alegando que o Twitter deturpou informações em seus registros. Não está claro se essa estratégia teria sucesso, embora isso possa abrir a porta para discussões de acordos.

O acerto entre os dois lados também exige que Musk evite depreciar o Twitter e seus representantes na plataforma, mas suas postagens mais recentes podem já ter cruzado essa linha.

Redação Oeste