sexta-feira, 17 de junho de 2022

Coreia do Norte enfrenta surto de doença intestinal não identificada

Líder Kim Jong-un lida com questão séria de saúde
em região agrícola do país | Foto: Reprodução/Flickr

Líder da nação comunista, Kim Jong-un ordenou a implementação de medidas de quarentena em região agrícola do país

O governo da Coreia do Norte revelou que está lidando com um surto de uma doença intestinal não identificada, aumentando a tensão local a respeito da disseminação do covid-19.

Segundo a agência de notícias oficial KCNA, o líder do país, Kim Jong-un, ordenou a implementação de medidas de quarentena.

A Coreia do Norte declarou estado de emergência em maio depois de anunciar que milhões de pessoas estavam com ‘febre’, que se acredita serem casos não testados de covid-19.

 “Kim enfatizou a necessidade de conter a epidemia o mais rápido possível, tomando uma medida bem estruturada para colocar em quarentena os casos suspeitos para conter completamente sua propagação, confirmando os casos por meio de exames epidemiológicos e testes científicos”, manifestou a KCNA, em comunicado.

Um funcionário do Ministério da Unificação da Coreia do Sul, que lida com assuntos intercoreanos, disse à agência de notícias Reuters que o governo suspeita que o surto no país vizinho seja de cólera ou febre tifoide.

O foco do surto fica na província de Hwanghae do Sul, principal região agrícola da Coreia do Norte, o que pode agravar a escassez generalizada de alimentos no país.

O número de mortos ligado ao surto é de 73, diz o governo, mas a Organização Mundial da Saúde (OMS) teme que a situação seja muito pior.

A comunista Coreia do Norte tem um sistema de saúde com poucos recursos e recentemente recusou ofertas internacionais de vacinas para a covid-19 para sua população.

Redação Oeste