terça-feira, 31 de maio de 2022

União Brasil avalia lançar Moro candidato ao governo de São Paulo

Ex-juiz e ex-ministro Sergio Moro pode ser candidato 
ao Palácio dos Bandeirantes | Foto: Marcos Corrêa/PR

Integrantes da legenda não confiam na campanha do atual governador Rodrigo Garcia, filiado ao PSDB

O União Brasil pode romper com o PSDB e lançar o ex-juiz da Lava Jato Sergio Moro na disputa pelo governo de São Paulo nas eleições deste ano. A análise dentro do partido é que Moro dará palanque ao pré-candidato à Presidência da República pela legenda, Luciano Bivar, e ajudaria a alavancar votos para deputados (estaduais e federais).

O deputado federal Junior Bozzella, vice-presidente do União Brasil em São Paulo, disse que Moro é “um trunfo” para o partido e que pode crescer. “É óbvio que, quando você tem um Moro filiado no partido, sempre será um trunfo. Você vai colocar azeitona na empada dos outros? Para o PSDB fazer mais deputados que você em São Paulo? Não sei se faz sentido”, disse Bozzella a Oeste.

O parlamentar afirmou que o União Brasil nasceu com ideia de lançar um candidato ao Palácio do Planalto. A legenda, criada no fim do ano passado, é resultado da fusão entre o PSL e o DEM.

 “Existe uma reconfiguração no cenário nacional sobre a questão de candidaturas à Presidência da República. O União Brasil nasceu com esse DNA, querendo essa discussão levada a sério. Tanto que as primeiras inserções do partido foram nesse sentido: ‘Olha, nós vamos ter candidato à Presidência da República’. E hoje tem”, afirmou Bozella.

Uma forma de o União Brasil conseguir ampliar a bancada de deputados é lançar também Rosangela Moro, mulher de Sergio Moro, na disputa por uma vaga na Câmara dos Deputados. “Então, quando você tem um candidato à Presidência da República, você tem de olhar os palanques. Acho que é isso que o presidente Bivar está considerando neste momento”, disse Bozzella.

Presidente, senador e governador

Sergio Moro se filiou ao Podemos no segundo semestre de 2021. A intenção era se candidatar a presidente pelo partido. No entanto, Moro desembarcou da legenda e seguiu para o União Brasil, que decidiu não lançá-lo ao cargo máximo da República. O governador de Goiás, Ronaldo Caiado, e ACM Neto, ex-governador da Bahia, pressionaram a cúpula da legenda a barrar o nome de Moro para não atrapalhar alianças estaduais.

O partido, então, ofereceu espaço para Moro se candidatar a um cargo por São Paulo. Até então, a ideia era disputar a vaga ao Senado. Agora, o rumo de Moro na política pode mudar novamente.

Atualmente, São Paulo tem como pré-candidatos ao Palácio dos Bandeirantes: Fernando Haddad (PT), Tarcísio Freitas (Republicanos), Márcio França (PSB), Rodrigo Garcia (PSDB), Felicio Ramuth (PSD), Gabriel Colombo (PCB), Vinicius Poit (Novo), Elvis Cezar (PDT), Abraham Weintraub (PMB) e Altino Junior (PSTU).

Heitor Mazzoco