Torcida Organizada do Esporte de Patos cobra transparência da diretoria e ameaça ir a justiça

Reunião da torcida organizada "Labareda" que reivindica documentos para conhecer a realidade do clube (Foto: Reprodução/Instagran)
Em 2022, o Esporte Clube de Patos, um dos mais tradicionais clubes da Paraíba completa 70 anos de história, querendo neste ano simbólico, reestruturar o clube na expectativa de voltar a disputar a 1ª Divisão do futebol Paraibano. O clube sertanejo não disputa não disputa a 1ª divisão do futebol estadual desde 2019, quando foi rebaixada pela última vez. Em 2021 o clube alegou problemas financeiros o ingressou com uma ação no Tribunal de Justiça Desportiva de Futebol da Paraíba (TJDF-PB) para permanecer na segundona. De acordo com a diretoria, vai disputar a 2ª divisão estadual, nesta temporada.
"Temos enfrentado muitos desafios em função do período da pandemia. Em função do nosso rebaixamento para a segunda divisão em 2019, não houve a competição em 2020 por conta da pandemia. Em 2021 abdicamos de disputar a segunda divisão por conta de dificuldades financeiras. Este ano, vamos disputar o campeonato estadual de categorias de base e disputar a segunda divisão com o objetivo de retornarmos a elite do futebol do estado. Precisamos unir forças para reestruturar o clube", comentou Dário Leitão, presidente do clube. 
Se dentro de campo o objetivo é lutar pelo retorno a 1ª divisão estadual, fora dele o "Terror do Sertão" enfrenta divergências entre representantes de torcida organizada e membros da atual diretoria. Representada pelo assessor jurídico Heber Tiburtino, o movimento da torcida organizada "Labareda" denominado de "Transparência Já" reivindica ações pontuais relacionada a atual diretoria do clube.
"O clube atualmente está na 3ª divisão do futebol estadual, no entanto, alega que vai disputar a 2ª divisão, a cerca de 45 dias nos reunimos com membros da atual diretoria, solicitando entrega de alguns documentos para que pudéssemos conhecer a atual realidade do clube, mais nada nos foi apresentado até agora. A nossa intenção é reivindicar a transparência na prestação de contas nos últimos cinco anos; a criação de um novo estatuto; a relação de sócios ativos e inativos; além da apresentação de um planejamento e a antecipação das eleições do clube", comentou Heber Tiburtino.
O atual presidente Dário Leitão rebateu as reivindicações, disse estar disposto a u diálogo com representante da torcida organizada e afirmou que todas questões administrativas do clube estão sobre controle.
"Estou apto a conversar com o representante da torcida, desde que seja apresentado um projeto que possa somar as reivindicações apresentadas. De fato esse movimento tem o objetivo de causar instabilidade na nossa gestão. A sitação administrativa do clube está sob controle. O momento é de união e não de formular desagregações que fragilizam ainda mais a instituição. Vamos em busca de novos momentos, com o objetivo de recolocar o clube na elite do futebol paraibano", disse.
Apesar de em 2022 o clube chegar a marca de sua sétima década de história, as divergências entre a atual diretoria e membros da torcida organizada parece não ter fim. Heber Tiburtino assessor jurídico da "Labareda" prometeu ir a justiça, caso as reivindicações da torcida não sejam atendidas por parte da diretoria do clube.
"O clube está acima de qualquer diretoria, nosso objetivo é sempre lutar pelo melhor para o clube. Caso não sejam apresentadas as transparências por parte da diretoria, vamos encaminhas ao Ministério Público Estadual, um pedido de ação para que se investigue a não apresentação de documento da Lei da Transparência", finalizou.

Por Fabiano Souza
Jornal A União
Postagem Anterior Próxima Postagem