Amazon vai pagar viagens de funcionárias nos EUA para fazer abortos

A Suprema Corte dos EUA poderá restringir o 
aborto no país | Foto: Reprodução/Unsplash

Benefício também contempla a realização de outros tratamentos

A Amazon dos EUA anunciou que vai reembolsar em até US$ 4 mil (pouco mais de R$ 20 mil) as despesas de viagens anuais para realização de abortos e outros tratamentos médicos que não ponham em risco a vida do funcionário.

Divulgada no início do mês, a informação é uma resposta do gigante do varejo às leis estaduais que restringem o acesso ao aborto somente nos Estados onde o procedimento é legalizado, ajudando as funcionárias a contorná-las.

O novo benefício só é válido caso o procedimento não esteja disponível em um raio de pouco mais de 160 quilômetros da casa da funcionária e o atendimento virtual não funcione.

-Publicidade-

A medida vale apenas para funcionários da Amazon nos Estados Unidos — tanto do escritório quanto do depósito — ou dependentes cadastrados nos planos de saúde do colaborador, fornecido pela empresa Premera e Aetna.

Outros tratamentos custeados pela Amazon

Além do aborto, a Amazon vai custear outros tratamentos nas áreas de cardiologia, terapias genéticas, terapias celulares e tratamento de transtorno de abuso de substâncias. A Amazon já oferecia aos funcionários um valor de até US$ 10 mil (pouco mais de R$ 50 mil) em reembolsos anuais de viagens para problemas que envolvam risco de morte.

Redação Oeste

Postagem Anterior Próxima Postagem