segunda-feira, 18 de abril de 2022

Jerusalém registra confrontos em dia de celebrações religiosas

Jerusalém tem domingo de Páscoa marcado 
por conflitos | Foto: Reprodução/Twitter

Choques na Esplanada das Mesquitas entre palestinos e israelenses deixaram vários feridos e obrigaram ação da polícia

Mais de 20 pessoas ficaram feridas neste domingo, 17, em Jerusalém, em confrontos de rua entre palestinos e israelenses. Os choques aconteceram no local conhecido como Esplanada das Mesquitas, onde registros de violência já haviam acontecido na última sexta-feira.

A Esplanada das Mesquitas está localizada na Cidade Velha de Jerusalém, uma área palestina ocupada por Israel desde 1967.

Neste domingo, manifestantes palestinos começaram a recolher pedras na esplanada antes da chegada dos judeus à região, considerada sagrada ao judaísmo. Os membros desta religião podem visitar o local em determinados horários e sob certas condições.

Segundo a polícia de Jerusalém, as forças de segurança israelenses precisaram entrar na Esplanada das Mesquitas para “restaurar a ordem”.

Os incidentes verificados ocorrem em um domingo especial no calendário religioso de Jerusalém. Trata-se de um dia que concentra importantes celebrações, com a peregrinação cristã de Páscoa na Igreja do Santo Sepulcro, as orações para Pessah (a Páscoa judaica) e para o mês muçulmano do Ramadã na Cidade Velha.

De acordo com informações divulgadas pela agência de notícias Reuters, o hospital Shaare Zedek de Jerusalém informou ter recebido sete feridos leves pelo lançamento de pedras, enquanto a polícia comunicou 18 detenções.

Em nota, o primeiro-ministro Naftali Bennett manifestou que os esforços devem continuar para permitir que integrantes de todas as religiões celebrem seus feriados em Jerusalém. O governante determinou que a segurança seja reforçada na cidade.

“As forças de segurança continuam a receber carta branca do escalão político para qualquer medida para garantir a segurança dos cidadãos de Israel. Estamos trabalhando para acalmar as coisas. As forças de segurança estão prontas para qualquer cenário”, afirmou Bennett.

Redação Oeste