sexta-feira, 15 de abril de 2022

Elon Musk diz ter ‘plano B’ sobre aquisição do Twitter

Musk chegou a oferecer ao Twitter US$ 54,20 por ação 
Foto: Naresh111/Shutterstock

Oferta de US$ 43 bilhões feita pelo empresário foi rejeitada pelos acionistas da plataforma

O magnata Elon Musk, CEO da Tesla Motors, afirmou nesta quinta-feira, 14, ter um “plano B” sobre a compra do Twitter. A declaração ocorre após o segundo maior acionista da rede social, o príncipe da Arábia Saudita Alwaleed Bin Talal Alsaud, rejeitar a proposta de US$ 43 bilhões feita pelo empresário.

Participando do evento TED 2022, em Vancouver, no Canadá, Musk defendeu a liberdade de expressão e afirmou que a plataforma se tornou uma “praça pública”.

“O Twitter se tornou uma espécie de praça da cidade de fato. Portanto, é realmente importante que as pessoas tenham a realidade e a percepção de que podem falar livremente dentro dos limites da lei”, afirmou.

-Publicidade-

Ele também afirmou que é necessário ter uma plataforma que garanta a inclusão de todos os posicionamentos. Afirmou, também, que sua decisão não se trata de uma medida econômica.

“Precisamos ter uma plataforma pública de máxima confiança. E qualquer ampla inclusão é extremamente importante para o futuro da civilização. E como eu disse, não me importo nem um pouco com a economia. Isso não é sobre economia”, explicou.

Apesar da declaração, Musk acenou não ter garantias sobre sucesso do plano. “Não tenho certeza se realmente conseguirei adquiri-lo”.

Rejeição

Ainda nesta quinta-feira, Alwaleed Bin Talal Alsaud afirmou que o valor proposto por Musk não corresponde ao real valor da empresa.

“Sendo um dos maiores acionistas do Twitter de longo prazo, Kingdom KHC e eu rejeitamos esta oferta”, anunciou Alsaud, na plataforma. “Não acredito que a oferta proposta de Elon Musk chegue perto do valor intrínseco do Twitter.”

O bilionário ofereceu pelo Twitter US$ 54,20 por ação, em torno de R$ 200. O valor é 38% mais alto que o preço da ação da rede social até 1º de abril. Na semana passada, o Musk já havia comprado uma participação de 9,2% da rede social.

Redação Oeste