sexta-feira, 15 de abril de 2022

Alckmin diz que Lula é o maior líder popular do Brasil

Lula e Alckmin, lado a lado
 Foto: Isaac Fontana/FramePhoto/Estadão Conteúdo

Em discurso ao lado do ex-presidente, o ex-tucano também elogiou a ‘luta sindical’

Nos últimos vinte anos, o ex-governador Geraldo Alckmin (PSB) fez inúmeras críticas ao Partido dos Trabalhadores (PT) e ao ex-presidente Lula. Nesta quinta-feira, 14, durante um comício na Casa de Portugal, na região central de São Paulo, o ex-tucano elegeu o petista como o maior líder popular do Brasil.

“A luta de vocês, a luta sindical, deu ao Brasil o maior líder popular do país: Lula!”, disse Alckmin, diante de uma plateia repleta de sindicalistas. “Viva, Lula! Viva os trabalhadores do Brasil.”

Histórico

Em 2006, quando Lula tentava a reeleição à Presidência, seu principal concorrente era Geraldo Alckmin. Durante um debate entre os dois candidatos ao Palácio do Planalto, o ex-tucano definiu o governo petista da seguinte maneira: “Parado na economia e acelerado nos escândalos”. Em outro, Lula denunciou a existência de focos de corrupção na gestão estadual comandada pelo oponente. “De corrupção você entende”, rebateu Alckmin.

Em agosto de 2014, após a escolha de Alexandre Padilha como candidato petista ao Palácio dos Bandeirantes, uma coluna publicada no site da revista Veja constatou que, em São Paulo, o PT não lança candidatos a governador; lança ameaças. “A afirmação se apoiava na fila puxada por Lula em 1982 e engrossada, nos anos seguintes, por gente como José Dirceu, Marta Suplicy, José Genoíno ou Aloizio Mercadante”, explicou Augusto Nunes, em artigo publicado na Edição 106 da Revista Oeste. “Posso usar essa frase na minha campanha?”, perguntou Alckmin ao colunista. Liberado, o tucano usou a expressão para lembrar que Padilha era o perigo da hora.

Em 2017, Lula reagiu novamente às declarações do tucano. “Eu, quando disputei a eleição com o José Serra, era uma coisa civilizada”, tuitou. “Depois, com o Alckmin, não foi. Ele parece que mamou até os 14 anos.”

Diante dos rumores de uma possível chapa com Lula nas eleições de 2018, o tucano foi à internet para rechaçar a ideia. “Não existe a menor chance de aliança com o PT”, avisou Alckmin. “Vou disputar e vencer o segundo turno, para recuperar os empregos que eles destruíram saqueando o Brasil. Jamais terão o meu apoio para voltarem à cena do crime.”

Quatro anos depois, Alckmin mudou de ideia. “Nós temos de ter os olhos abertos para enxergar e ter a humildade de entender que Lula é hoje aquele que melhor reflete o sentimento de esperança do povo brasileiro”, disse o tucano, em discurso para integrantes do PSB, seu novo partido. “Lula representa a democracia porque é fruto dela. Por ter conhecido as vicissitudes, é quem interpreta o sentimento da alma nacional.”

No último dia 8, Lula disse o seguinte: “Nossa vontade é de reconstruir o Brasil. A partir de agora é companheiro Alckmin e companheiro Lula”.

Edilson Salgueiro