Rússia aprova lei que prevê prisão por divulgar ‘informações falsas’ sobre exército do Kremlin

Presidente Vladimir Putin pode sancionar lei que prevê 
a prisão para quem divulgar "informações falsas" sobre 
o exército do Kremlin. Mikhail Klimentyev / SPUTNIK / AFP

Ações poderão levar de três a quinze anos de prisão; texto aprovado segue para sanção do presidente Vladimir Putin

Deputados russos aprovaram na manhã desta terça-feira, 22, um projeto de lei que prevê prisão para cidadãos que divulgarem “informações falsas” sobre a atuação do exército do Kremlin na invasão à Ucrânia. Uma eventual sanção presidencial de Vladimir Putin fará com que a Rússia tenha controle sobre a “difusão pública de informações deliberadamente falsas” a respeito das “atividades dos órgãos do Estado russo fora de seu território”. O texto prevê três anos de prisão para ações individuais e até cinco anos caso seja uma atividade realizada em grupo. Será analisado as publicações que divulgarem um “abuso de posição oficial”, uma “criação artificial de provas” ou até mesmo um ato “motivado pelo ódio ou pela hostilidade política, ideológica, racial, nacional ou religiosa”. Caso as “informações falsas gerarem consequências graves”, o munícipe poderá ser condenado por até 15 anos de reclusão.

Por Jovem Pan

Postagem Anterior Próxima Postagem