Rio das Ostras promove semana com ações de Educação Inclusiva

Alunos fazem atividades para lembrar Dia Mundial 
da Síndrome de Down. Semana foi dedicada à Educação 
Inclusiva nas unidades de ensino. Equipe trabalha ao longo
 de todo ano letivo. Fotos: Divulgação

Em comemoração ao Dia Mundial da Síndrome de Down (21/3), várias unidades escolares da Rede Municipal e instituições de Rio das Ostras, durante a semana de 21 a 25 de março, desenvolveram várias atividades. Com o lema “o amor não conta cromossomos”, a semana colaborou com a defesa do direito de inclusão dos alunos com Síndrome de Down.

A semana foi iniciada na segunda, 21, com uma palestra das professoras-doutoras Annie Gomes Redig e Cristina Angélica Mascaro, no Teatro Municipal de Rio das Ostras, durante a qual a discussão do conceito de inclusão foi levantada. Um dos objetivos foi fomentar nas escolas da Rede Municipal ações inclusivas de alunos com Síndrome de Down.

São realizadas diariamente atividades de inclusão nas unidades escolares, seja nas Salas de Recursos, nas salas de aula, nas ações dos professores do Atendimento Educacional Especializado – AEE e até na Educação Física.

A diretora da Escola Municipal Ary Gomes de Marins, Bruna Blaser, destaca que o professor de Educação Física da unidade oferece dois tempos de aula exclusivos para os alunos da inclusão. Com isso, é possível garantir um horário a mais da disciplina para os estudantes, além da aula realizada junto com a turma regular.

“Nosso professor Fred é mestrando da área da inclusão e pode colocar em prática o que também tem estudado. Nesse horário específico, ele trabalha com os alunos atividades voltadas para a coordenação motora. As aulas são acompanhadas pelas auxiliares educacionais dos alunos e são no turno de aula”, explicou Bruna.

Além das atividades cotidianas, outras unidades, como a Creche Municipal Valdira Flausino Rodrigues, reuniram alunos e desenvolveram atividades pedagógicas em torno da temática.  “Nesta semana, as atividades lúdicas estão voltadas para o dia 21 de março, trabalhando a valorização da diversidade. Nossa equipe tem vestido essa camisa literalmente. Precisamos acreditar numa educação de igualdade de condições, direitos e respeito. Essa é a nossa luta cotidiana”, comentou a diretora Fernanda Roiffe.

Na Escola Municipal Professora Mônica de Andrade Ribeiro (antiga Acerbal Pinto Malheiros) aconteceu uma apresentação cultural para alunos e professores em comemoração à data. “Um dia muito feliz. Estamos na semana de fechamento da primeira etapa de ações voltadas para a sensibilização, acolhida e conscientização da comunidade escolar acerca dos alunos da educação inclusiva. Temos multiplicado nossos esforços para atender os estudantes, valorizando suas potencialidades e desenvolvendo a autonomia”, afirmou a diretora da unidade, Rosimar Abreu.

INCLUARTE – Na terça-feira, 22, foi realizado um workshop para os profissionais da Educação Inclusiva do Município, no Centro de Educação Ambiental de Rio das Ostras – Cedro. O encontro teve como principal objetivo orientar os professores quanto ao trabalho com as habilidades e potencialidades de cada aluno para a construção das peças para a exposição IncluArte.

“Em 2022, para preparar a equipe que orientará os alunos público-alvo da educação inclusiva na produção das obras, a equipe de Educação Inclusiva promoveu o encontro, cujo objetivo é fazer com que os professores da Educação Especial experimentem o processo de produção das artes para a mostra”, afirmou a coordenadora do projeto, Zuleika Zanuzzio.

O workshop teve como tema o Centenário da Semana de Arte Moderna e focou na produção de peças em 3D, com o uso de materiais variados.  “O uso de materiais que antes iriam para o lixo, servindo como ferramenta para a confecção dessas peças e de outros produtos para a educação especial, configura-se em um mundo de possibilidades para o trabalho dos professores, num processo em que ganham os alunos e mestres como também ganha o meio ambiente”, ressalta a psicopedagoga Nathalia Ferreira.

SÍNDROME DE DOWN – Segundo dados do Instituto de Geografia Estatística – IBGE, no Brasil existem aproximadamente 300 mil pessoas com Síndrome de Down.  Trata-se de uma falha genética, que acontece na divisão celular do óvulo, e resulta em um par a mais no cromossomo 21, chamada trissomia.

O Dia Internacional da Síndrome de Down foi criado para dar voz e visibilidade às pessoas que nasceram com a trissomia, e para defender o seu direito à inclusão em todas as esferas da sociedade, em igualdade de condições com os demais. Para 2022, a Down Syndrome International tem como tema gerador a pergunta: “O que quer dizer inclusão?”.

Postagem Anterior Próxima Postagem