Pacheco rebate declaração de Lula sobre o Congresso: ‘Deformada, ofensiva e sem fundamento’

Presidente do Senado e do Congresso, Pacheco
 não gostou das críticas do ex-presidente. 
ANTONIO MOLINA/FOTOARENA

Ex-presidente disse durante evento do MST no Paraná que a atual legislatura é ‘a pior da história’

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), rebateu neste domingo, 20, as criticas do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ao Congresso. O petista afirmou no sábado, 19, durante evento do Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra (MST) em Londrina, no Paraná, que a atual legislatura é a pior da história. Em nota, Pacheco disse que a declaração de Lula é “deformada, ofensiva e sem fundamento, fruto do início da disputa eleitoral que faz com que seja ‘interessante’ falar mal do Parlamento”. O presidente do Senado, que também preside o Congresso, ainda afirmou que o Legislativo é a síntese dos defeitos e das qualidades de um Brasil construído por sucessivos governos e aprovou reformas que estavam engavetadas há anos. “Entre elas a da Previdência, o Marco do Saneamento, a autonomia do Banco Central, a nova Lei Cambial, a nova Lei de Falências, a nova Lei de Geração Distribuída, a Lei do Gás, a capitalização da Eletrobras e outros marcos do sistema elétrico, além da Lei das Ferrovias, da Lei da Cabotagem (BR do Mar) e a reforma da Lei de Segurança Nacional”, afirmou.

Pacheco ainda afirmou que o Congresso brasileiro foi o primeiro do mundo a funcionar pelo sistema remoto na pandemia da Covid-19. Segundo ele, a atual legislatura aprovou o auxílio emergencial e o Pronampe para pequenas e microempresas. “O mesmo Congresso também se posicionou fortemente em defesa da democracia quando arroubos antidemocráticos assombraram a Nação. E foi esse mesmo Congresso que validou as urnas eletrônicas ao rejeitar a ideia do voto impresso”, disse o presidente do Senado. O parlamentar também afirmou que embora respeite e valorize críticas “é importante que elas sejam verdadeiras e com bons propósitos, uma vez que de discursos oportunistas em período eleitoral o Brasil está cansado”.

Por Jovem Pan

*Com informações do Estadão Conteúdo

Postagem Anterior Próxima Postagem