Mourão, sobre Lula e Alckmin: ‘Um chamava o outro de ladrão’

Vice-presidente Hamilton Mourão
 Foto: Bruno Batista/ VPR

'Na minha ética, isso aí não funciona', complementou o vice-presidente

O vice-presidente Hamilton Mourão (Republicanos) criticou nesta quarta-feira, 23, a possiblidade de o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin ser vice do ex-presidente Lula (PT) na corrida pelo Palácio do Planalto.

Em conversa com jornalistas na chegada ao Palácio do Planalto, ele disse que “um chamava o outro de ladrão e agora vão ficar abraçados”. Hoje, o ex-tucano se filiou ao PSB e abriu caminho para disputar com o petista.

 “Quem conhece a trajetória do Alckmin acha estranha essa mudança de comportamento dele. Se é para ele e concorrer junto com o Lula, é algo mais estranho ainda, porque um chamava o outro de ladrão e agora vão ficar abraçados”, disse.

“É difícil isso aí, né? Na minha ética, isso aí não funciona”, complementou Mourão.

Mourão também afirmou que poderá comparecer ao evento de lançamento da pré-candidatura do presidente Jair Bolsonaro (PL), caso seja convidado.

“Se for convidado, eu vou”, garantiu. O vice-presidente não estará na chapa de reeleição de Bolsonaro. Ele já anunciou que vai disputar uma vaga ao Senado pelo Rio Grande do Sul.

Nesta semana, em entrevista à Jovem Pan, o presidente da República sinalizou que o ministro da Defesa, Walter Braga Netto, deve ser o seu parceiro de chapa.

“Eu tenho que ter um vice que não tenha ambições de assumir a minha cadeira ao longo de um mandato. Por isso posso adiantar que hoje em dia, por coincidência, o vice é de Minas Gerais”, disse.

O presidente disse não querer adiantar o nome, mas afirmou que o objetivo é ter um vice que o ajude a governar o país, mais do ganhar competitividade eleitoral.

Redação Oeste

Postagem Anterior Próxima Postagem