Governo do estado demole construções condenadas pela Defesa Civil em Petrópolis

Nesta terça-feira de Carnaval, posto de combustível da rua Teresa foi ao chão após operação coordenada pela Secretaria de Infraestrutura e Obras

Durante todo o Carnaval, o Governo do Estado do Rio de Janeiro continuou com as ações de limpeza em Petrópolis. Após retirar mais de 35 mil toneladas de resíduos e liberar a circulação em mais de 20 vias que estavam obstruídas, nesta terça-feira (1), duas semanas após a tragédia, a operação coordenada pela Secretaria de Infraestrutura e Obras demoliu o posto de combustível que apresentava risco de desabamento na Rua Teresa.

Ao todo, mais de 500 caminhões de resíduos foram retirados só da Rua Teresa, um dos pontos mais afetados pelas chuvas. Pedras e entulhos desceram de uma encosta, destruindo tudo que havia embaixo. O posto, que fica na na altura do número 1129, foi atingido e o cenário de destruição rodou o mundo. Nenhum funcionário do posto foi ferido gravemente, mas o corpo de um senhor que morava no morro foi encontrado entre os escombros.

Cerca de 45 minutos foram suficientes para levar ao chão o que restou do escritório e da loja de conveniência do posto. Uma retroescavadeira e cinco caminhões foram usados para realizar a demolição. O estabelecimento estava com as estruturas comprometidas por causa dos impactos das pedras e lixo que desceram com as chuvas e foi condenado pela Defesa Civil.

Em Petrópolis desde o último dia 15, o secretário de Infraestrutura e Obras, Max Lemos, esteve no local para acompanhar a demolição e destacou a necessidade do trabalho realizado:

“Nós estamos fazendo toda limpeza aqui da Rua Teresa e, atualmente, graças a Deus, o cenário é bem diferente do que encontramos. Sabemos que há muito trabalho para fazer e parte do posto poderia desabar a qualquer momento. Nossa expectativa é de que os comerciantes possam reabrir imediatamente suas lojas e com mais segurança. Todos os nossos esforços estão concentrados para que Petrópolis volte à normalidade. Por isso, trabalhamos duro todos os dias de Carnaval aqui na cidade”, destacou.

Acompanhando atentamente a demolição do posto, o empresário Sérgio Bernardes, 48 anos, calcula um prejuízo de cerca de R$ 1,5 milhão. No entanto, tem a esperança de dias melhores e  a gratidão por não ter perdido a vida de nenhum funcionário ou ente querido pela tragédia.

“No dia foi uma sensação terrível, mas felizmente estamos vivos e isso é o que mais importa. Agora, é colocar a cabeça no lugar e recomeçar. O objetivo é reabrirmos com contêiner e em três meses estarmos em funcionamento. Agradecemos muito a toda equipe do Governo do Estado que tem nos ajudado muito neste momento”, disse.

Equipamentos nas ruas no Carnaval

Durante o Carnaval, o bloco da limpeza do Governo do Estado foi quem ditou o ritmo da folia em Petrópolis. Ao invés de batuques e tamborins, o som dos mais de 70 equipamentos como: caminhões, máquinas, Caminhões Pipa, Vacaal, entre outros foi o que esteve presente nas ruas.

“A força-tarefa do Governo do Estado já dura duas semanas e não parou um dia sequer desde então. A determinação do governador Claudio Castro foi que ajudássemos em tudo que fosse possível a cidade a se recuperar. E é isso que estamos fazendo. O cenário já é bem melhor do que encontramos. Com a ajuda de todos, Petrópolis vai se reerguer”, concluiu o secretário Max Lemos.

Postagem Anterior Próxima Postagem