EUA alertam empresas para risco de ataques cibernéticos

O governo americano tem alertado empresas do país 
das ameaças representadas pelos hackers do governo russo 
Divulgação/Pixabay

Governo americano detectou “crescente informação” de que a Rússia estuda lançar ciberataques a alvos de infraestrutura

Os Estados Unidos estão alertando as empresas norte-americanas a reforçarem a segurança digital dos seus negócios. Isso por causa da “crescente informação” de que a Rússia estuda lançar ataques cibernéticos a alvos de infraestrutura.

De acordo com a Casa Branca, algumas entidades de infraestrutura do país ignoraram os avisos de agências federais para repararem problemas conhecidos de software capazes de serem explorados por hackers russos, que poderiam “facilitar” os ataques.

“Apesar desses reiterados alertas, continuamos a ver adversários permitirem a atuação de sistemas que empregam vulnerabilidades conhecidas, para as quais há conserto”, disse na segunda-feira 21 a assessora de Joe Biden em cibersegurança, Anne Neuberger.

O governo americano tem alertado empresas do país das ameaças representadas pelos hackers do governo russo desde muito antes de a Rússia ter invadido a Ucrânia, no mês passado.

A Agência de Cibersegurança e de Segurança de Infraestrutura americana lançou uma campanha de “empunhar escudos” destinada a ajudar as empresas a fortalecer suas defesas, e conclamou as empresas a fazer cópias de segurança para seus dados, adotar a autenticação multifatorial e tomar outras medidas para melhorar a higiene cibernética.

Neuberger disse que não há informações de inteligência que estejam sugerindo um ciberataque russo específico contra alvos americanos, mas acrescentou que houve aumento de “atividades preparatórias”, com o escaneamento de sites e busca por vulnerabilidades, comum entre hackers estatais.

Em declaração, Biden disse que a Rússia poderia lançar ciberataques contra alvos americanos em retaliação aos “custos econômicos sem precedentes que impusemos” à Rússia por meio de sanções. “É parte da estratégia da Rússia.”

Guerra virtual

A Rússia é considerada uma potência em hackeamento, mas seus ciberataques ofensivos, desde que invadiu a Ucrânia, foram discretos em relação ao que se temia.

A Rússia coordenou ataques cibernéticos significativos contra a Ucrânia nos últimos anos, entre os quais o devastador ataque NotPetya, de 2017, que foi de longo alcance e amplo espectro e causou mais de US$ 10 bilhões em prejuízos globalmente.

Redação Oeste

Postagem Anterior Próxima Postagem