ELEIÇÃO 2022: Prefeito Sobrinho vai romper com João Azevedo? - Por Jornalista Gildo Araújo

Seria cômico se não fosse trágico. Neste domingo (13/03), em uma entrevista dada à Rádio Rural de Guarabira, um dos principais aliados de primeira hora do Governo Estadual e Prefeito de uma das maiores cidades da Paraíba declarou que se João Azevedo não cumprir a promessa feita ao seu município irá romper politicamente com o governador. 

Durante sua entrevista, o prefeito de Alagoa Grande, Antônio Sobrinho, desabafou tudo aquilo que há muito tempo vem guardando que é a sua insatisfação na forma como Alagoa Grande vem sendo tratada pelo governo da Paraíba.

Sobrinho pôs a culpa nos assessores direto do governador, cujo pensamento coaduna com as recentes declarações do presidente da Assembleia Legislativa, Adriano Galdino, quando em entrevista também reclamou da postura dos assessores do Governador, inclusive utilizando os mesmos adjetivos.

Em sua fala na emissora, Antônio Sobrinho declarou que para o povo de sua terra não é mais novidade, pois ele já vem dizendo aos quatro cantos da cidade em diversas reuniões que tem participado que: “Ainda sou aliado do governador, mas se ele não fizer o que prometeu a Alagoa Grande, não terá meu voto”.

O prefeito afirmou que Alagoa Grande possui mais de 20 mil eleitores, o que deu ao governador em 2018 uma maioria de mais de 6 mil votos sobre o seu adversário. Ainda durante sua entrevista, o Chefe do Executivo alagoagrandense disse que ele e o deputado Bosco Carneiro têm lutado pela Travessia Urbana da cidade e até agora nada foi feito. Foi quando desabou: “Promessa não cumprida pelo governador João Azevedo, mesmo antes da minha reeleição''. E continuou: “Eu só apoio quem apoia a minha terra. O governador João Azevedo dizia que tinha um compromisso importante com Alagoa Grande, até porque trata-se da terra de sua genitora, Dona Odília Pereira Lins, mas até agora nada. Infelizmente, o governador está deixando de fazer política com os políticos para ouvir apenas a sua assessoria que, na minha opinião, é fraca”.

Agora fica a pergunta: Como é que se despreza um aliado da estirpe do prefeito Antônio Sobrinho? Hoje, Sobrinho é considerado um dos melhores gestores do Estado da Paraíba. Além disso, Alagoa Grande está geopoliticamente bem posicionada em favor do governador, já que a cidade é o ponto de equilíbrio entre as desvantagens eleitorais que o governo tem em relação a Guarabira, Alagoinha, Cuitegi, entre outras cidades do brejo paraibano que não votam com o o chefe do executivo paraibano.
É importante ressaltar que se perder o apoio de Alagoa Grande, uma das maiores concentrações eleitorais do Estado, o grupo do Governo ficará sem seu ponto de apoio no brejo e isso poderá levar ao governador João Azevedo a uma derrota fragorosa na região e que pode começar a deixar em xeque a sua ida para o segundo turno.

O prefeito Sobrinho mandou o recado, e não foi de hoje.

Recentemente vimos vários prefeitos aliados do Governador confirmarem o apoio à campanha de João. Mas também é importante manter base sólida em uma determinada região, pois perder um prefeito como Sobrinho de Alagoa Grande por mera incompetência de articulação será um “baque” nas pretensões governistas.

Ora, como é que se despreza um amigo, e quer dele o apoio? Como é que se quebra a palavra prometida a toda uma população que depositou toda sua confiança? Esse nego do governador não é ao prefeito Antônio Sobrinho, mas a uma cidade inteira.

Há tempos vínhamos alertando ao governador João Azevedo que política se faz com político e não com assessoria. É claro que assessores são importantes para estreitar os laços com os agentes públicos, mas quando trabalha com retaliações, e principalmente, com aliados, fica muito mal para um gestor.

E se não bastassem tantos problemas já enfrentados pelo governador, agora vem mais um, que é o possível rompimento do prefeito Antônio Sobrinho de Alagoa Grande; o que pode gerar diversos desdobramentos dentro do cenário político paraibano, já que se trata de uma das principais cidades do Estado da Paraíba.

Diante de todos esses recados do prefeito Sobrinho, se esse rompimento vingar, não teremos dúvidas de que o governador estará colocando definitivamente sua reeleição em perigo.

Esperamos que o próprio governador João Azevedo, ainda em tempo, tome medidas saneadoras para evitar a saída de Sobrinho, o que será uma perda irreparável. A separação de duas grandes lideranças por conta de uma Travessia urbana é algo inaceitável. A terra de Jackson do Pandeiro, da líder sindical Margarida Alves e do Prefeito Sobrinho merece um tratamento mais condizente. Nada pior do que a ingratidão.

Precisamos acordar o governador João Azevedo que parece que já esqueceu do que diz Geraldo Vandré: “Quem sabe faz a hora, não espera acontecer”... tudo isso é para depois não ficar se lamentando, pois, será tarde demais.

Esperamos que o governador resolva essas pendengas urgente, urgentíssimo. O bom é que ainda há esperança, e ela é "a última que morre”, do contrário, poderá sofrer um grande revés nas próximas eleições. Quem viver, verá!

E como diz o grandíssimo Jornalista Gutemberg Cardoso: “Pelo sim, pelo não esta é a minha opinião”. 

Postagem Anterior Próxima Postagem