Cláudio Castro tira do papel lei para combater discriminação contra pessoas com Transtorno do Espectro Autista

Publicado nesta sexta-feira no Diário Oficial, texto prevê advertência e multa a quem cometer esse tipo de ato

Para combater atos discriminatórios contra pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA), o governador Cláudio Castro sancionou a Lei 9.600/22, que prevê multa e advertência a pessoas físicas e empresas que cometerem esse tipo de conduta. Se o ato for praticado por agente público, no cumprimento de suas funções, também será aberto um processo administrativo disciplinar (PAD) pelo órgão competente para apuração do fato. O texto foi publicado nesta sexta-feira (18/03) no Diário Oficial.

- É nosso papel combater a discriminação contra pessoas com Transtorno do Espectro Autista. Essa é uma pauta que acompanha a minha vida e sempre vou lutar para garantir a inclusão e dignidade a todas essas pessoas. A lei tem essa função e ainda prevê mecanismos para orientar e educar quem cometer atos discriminatórios – declarou Cláudio Castro.

De acordo com a norma, a advertência será aplicada por escrito acompanhada de um folheto explicativo sobre o TEA. Haverá possibilidade ainda de o infrator ser encaminhado para participar de palestras educativas sobre o tema e para atuar como voluntário nos Centros de Atendimentos às pessoas com Transtorno do Espectro Autista.

Além disso, a multa chegará a R$ 4.091,50 para pessoas físicas e a R$ 8.183,00 para pessoas jurídicas. Os valores arrecadados serão revertidos ao Fundo de Integração da Pessoa Portadora de Deficiência ou para outro fundo que o substitua.

Caracteriza a discriminação qualquer forma de recusa, distinção ou exclusão, presencialmente, pelas redes sociais ou em veículos de comunicação que prejudique o exercício dos direitos das vítimas. Ainda de acordo com a lei, as punições ocorrerão também caso os atos sejam voltados contra pais, responsáveis e tutores de pessoas com Transtorno do Espectro Autista

De autoria da deputada Tia Ju (Republicanos), a medida tem como base a Lei 12.764/12, que instituiu a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista, e a Lei 13.146/15, sobre a Inclusão da Pessoa com Deficiência.

Postagem Anterior Próxima Postagem