Ucrânia vai expandir as Forças Armadas em 50%

Volodymyr Zelensky é presidente da Ucrânia 
 Foto: Reprodução/Twitter

A decisão ocorre em meio à escalada do conflito no Leste Europeu, com quatro frentes do território ucraniano sob a mira da Rússia

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, anunciou nesta terça-feira, 1º, que pretende expandir em 50% as Forças Armadas do país. Com isso, mais de 100 mil militares serão recrutados nos próximos três anos. A decisão ocorre em meio à pior crise de segurança na Europa desde 2014, com quatro frentes do território ucraniano sob a mira do Exército da Rússia.

“O decreto foi elaborado para fortalecer as capacidades de defesa do Estado e aumentar a atratividade do serviço militar”, explicou Zelensky. “Esse decreto prevê o aumento da segurança financeira de todos os militares para um nível não inferior a três salários mínimos.”

Kiev tem recebido apoio militar da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). No último dia 24, a aliança ocidental anunciou o envio de aviões e navios ao Leste Europeu, para contrabalançar a concentração de tropas russas na fronteira com a Ucrânia. Em comunicado, a Otan informou que continuará a adotar as medidas necessárias para proteger todos os aliados.

Os países-membros da aliança também estão se mobilizando para reforçar o poderio bélico da Ucrânia. A Espanha, por exemplo, enviou navios de guerra para perto da fronteira ucraniana e avalia mandar aviões de combate para a Bulgária. A Dinamarca, por sua vez, planeja enviar uma fragata para o Mar Báltico e mobilizar quatro caças F-16 para a Lituânia. A França também manifestou sua disposição de enviar tropas para a Romênia. Enquanto isso, a Holanda enviará dois caças F-35 para a Bulgária, a partir de abril, para apoiar as atividades de vigilância aérea da Otan na região. Os Estados Unidos também planejam aumentar sua presença militar no Leste Europeu.

Redação Oeste

Postagem Anterior Próxima Postagem