quinta-feira, 17 de fevereiro de 2022

Polícia Civil e TJ montam mutirão para ajudar na identificação de vítimas em Petrópolis

Agentes da polícia estão colhendo informações em abrigos
 e cruzando com dados dosm. Reprodução/ Twitter @PCERJ

Agentes da corporação e magistrados estão auxiliando as autoridades locais a identificar as vítimas fatais das fortes chuvas que atingiram a cidade nesta terça-feira, 15

Polícia Civil e o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) montaram uma força-tarefa para auxiliar na identificação de vítimas na cidade de Petrópolis, no Rio de Janeiro, que foi atingida por fortes chuvas que deixaram mais de 60 mortos na terça-feira, 15. Segundo a Polícia, mais de 200 policiais, incluindo peritos legistas e criminais, auxiliares de necropsia, servidores de cartório e de diversas delegacias da Região Serrana estão atuando na cidade. De acordo com a corporação, até o momento 56 corpos estão no Instituto Médico Legal (IML), que está em uma área não atingida por deslizamentos. Uma estrutura para preservar os cadáveres durante a identificação foi montada e uma sala do IML está sento utilizada para acolher e atender parentes das vítimas. O TJ-RJ, por sua vez, informou que os magistrados estão auxiliando para agilizar e organizar documentos necessários para a identificação das vítimas e liberação dos corpos. Além disso, os fóruns da cidade não funcionaram nesta quarta-feira, 16.

A Polícia também afirmou que duas aeronaves estão ajudando a Defesa Civil no local, procurando por desaparecidos, pontos de deslizamentos e vítimas que precisem de socorro. A Delegacia de Descoberta de Paradeiros (DDPA) também está no local e está auxiliando familiares que buscam informações de desaparecidos. Agentes estão percorrendo abrigos e pontos de apoio para cruzar dados e cruzar as informações com o que se sabe das vítimas fatais. Até o momento, três pessoas tidas como desaparecidas foram localizadas. Além do auxílio nas buscas e identificação, uma equipe de policiais da Delegacia do Consumidor está fiscalizando possíveis sobrepreços de mercadorias em estabelecimentos comerciais.

Por Jovem Pan