Ivermectina apresenta reação ‘antiviral’ contra Ômicron, informa empresa japonesa

Os teste da ivermectina em humanos ainda estão
 em andamento | Foto: Arquivo/Agência Brasil

Resultado é de uma pesquisa não clínica feita em parceria com uma universidade de Tóquio

A empresa farmacêutica japonesa Kowa informou nesta segunda-feira, 31, que a ivermectina apresentou reação antiviral contra a variante Ômicron do novo coronavírus.

O resultado é fruto de um ensaio não clínico (quando não envolve testes em humanos) feito por meio de uma parceria da Kowa com a Universidade de Kitasato, com sede em Tóquio. O teste do medicamento para validar o tratamento em humanos ainda está em andamento.

Inicialmente utilizada para combater parasitas em homens e animais, a possibilidade de a ivermectina ser reposicionada para o tratamento antiviral contra o coronavírus está em debate desde o início da pandemia.

-Publicidade-

Até o momento, nenhuma agência sanitária recomendou o uso do medicamento para tratar a covid-19. Contudo, estudos revelaram que o fármaco age impedindo que o vírus se ligue às células, conforme relatou em entrevista a Oeste a biomédica Rute Alves Pereira e Costa.

Mestre em fisiopatologia médica e doutora em ciências pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), com pós-doutorado pela Harvard Medical School, Rute disse que esse processo é o mesmo do Paxlovid, produto desenvolvido pela Pfizer para tratar a covid-19 nas fases iniciais da contaminação pelo novo coronavírus.

 “Um dos principais mecanismos de ação da ivermectina é impedir que o vírus se ligue à célula na região viral 3CLpro, do mesmo jeito que o Paxlovid, da Pfizer, se propõe a fazer”, explicou. “Ou seja: Paxlovid e ivermectina agem na mesma região do vírus.”

Artur Piva

Com informações da agência Reuters

Postagem Anterior Próxima Postagem