terça-feira, 22 de fevereiro de 2022

Gilmar Mendes nega pedido de liberdade de Jairinho

Jairinho foi preso em abril de 2021. 
WILTON JUNIOR/ESTADÃO CONTEÚDO

 Ex-vereador está preso preventivamente desde abril do ano passado, acusado de matar o enteado Henry Borel, de 4 anos

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes negou um pedido de liberdade da defesa do ex-vereador Doutor Jairinho, acusado de matar o enteado Henry Borel, de 4 anos. Ele está preso preventivamente desde abril do ano passado. Os advogados de Jairinho alegaram que a prisão já dura mais de 300 dias e foi decretada sob argumento de clamor público. A defesa argumenta ainda que há “ausência de contemporaneidade” nos motivos que levaram à prisão preventiva. “A prisão foi decretada logo após a prática do crime, sendo, portanto, a ele contemporânea. A defesa faz confusão entre contemporaneidade e suposto excesso de prazo, que, no momento, não verifico”, diz a decisão. Gilmar Mendes destacou ainda que há evidências de tentativa de coação de testemunhas pelos acusados. “Desse modo, a prisão preventiva está devidamente fundamentada, razão por que não há margem para a concessão da ordem”, concluiu.

Por Jovem Pan