“Podem quebrar sigilo, fazer o que eles querem’, diz Moro sobre investigação do TCU

Moro no Flow Podcast (Foto: Divulgação/Twitter)

A relação do ex-juiz e ex-ministro com a Alvarez & Marsal entrou na mira do TCU por suposto conflito de interesses.

Pré-candidato à Presidência da República, o ex-juiz Sergio Moro (Podemos) disse que é alvo de perseguição por parte de seus adversários. O ex- ministro do governo Bolsonaro disse que não enriqueceu trabalhando no setor privado ou que recebia pagamentos da consultoria internacional Alvarez & Marsal.

“Podem quebrar sigilo, fazer o que eles querem. Não vão provar nada, porque não fiz nada de errado”, disse Morom entrevista ao Flow Podcast, nesta segunda-feira (24).

“Fui trabalhar honestamente por qual motivo? Eu não enriqueci no serviço público. Fui trabalhar, precisava ganhar dinheiro. E aí recebia pagamento de um serviço que eu prestava. Jamais prestei serviço para empresa envolvida na Lava Jato. Quem fala isso, mente. Podem quebrar sigilo. Não vão provar nada porque não fiz nada errado”, acrescentou o ex-juiz,

Em dezembro, o Tribunal de Contas da União (TCU) determinou que a Alvarez & Marsal apresentasse em detalhes os valores repassados ao ex-juiz na rescisão de contrato com a companhia. O Tribunal investiga o caso porque a Alvarez & Marsal foi contratada por alvos da Lava Jato para realizar projetos de melhoria da situação econômica dessas empresas, a exemplo da Odebrecht. Os contratos renderam cerca de R$ 42 milhões à consultoria.

Gazeta Brasil

Postagem Anterior Próxima Postagem